SJ Financial - шаблон joomla Joomla

 عربي - Deutsch - Française - Português - Español - - Italiano - русский

Chat ao vivo

Chat ao vivo

Se quer colocar qualquer pergunta acerca do Islam!

Como se verter ao islamismo?

Como se verter ao islamismo?

Nos estamos do seu lado em qualquer tempo, Coloque a sua questao e nos as respondemos gracas a Allah

Esse artigo delineia a correlação entre a explicação científica mais aceita da origem e expansão do Universo e a descrição de sua origem e expansão no Alcorão.

Lei de Hubble

Por milhares de anos astrônomos disputaram contra questões básicas relacionadas ao universo.  Até o início dos anos 20 acreditava-se que o universo sempre tinha existido e também que o tamanho do universo era fixo e não se alterava.  Entretanto, em 1912 o astrônomo americano Vesto Slipher fez uma descoberta que em breve mudaria as crenças dos astrônomos sobre o universo.  Slipher notou que as galáxias estavam se distanciando da terra a velocidades enormes.  Essas observações forneceram a primeira evidência que apoiava a teoria do universo em expansão. [1]

Antes da invenção do telescópio em 1608 o homem não podia fazer mais do que se questionar sobre a origem do universo. (Cortesia: NASA)

Em 1916 Albert Einstein formulou sua Teoria Geral da Relatividade que indicou que o universo devia estar se expandindo ou contraindo.  A confirmação da teoria do universo em expansão finalmente veio em 1929 nas mãos do bem conhecido astrônomo americano Edwin Hubble.

Ao observar desvios para o vermelho[2] na luz de comprimentos de onda emitidos pelas galáxias, Hubble descobriu que as galáxias não estavam fixas em suas posições; ao contrário, estavam de fato se distanciando de nós com velocidades proporcionais às suas distâncias da terra (Lei de Hubble).  A única explicação para essa observação era que o universo tinha que estar expandindo.  A descoberta de Hubble é considerada como uma das maiores na história da astronomia.  Em 1929 ele publicou a relação velocidade-tempo que é a base da cosmologia moderna.  Nos anos que se seguiram, com observações adicionais, a teoria do universo em expansão foi aceita pelos cientistas e astrônomos.

Com o telescópio Hooker, Hubble descobriu que as galáxias estavam se distanciando de nós.  Acima são fotos de galáxias conhecidas.  (Cortesia: NASA)

Porém, surpreendentemente bem antes dos telescópios serem inventados e bem antes de Hubble ter publicado sua lei, o Profeta Muhammad costumava recitar um versículo do Alcorão a seus companheiros que afirmava que o universo estava expandindo:

“E construímos o firmamento com poder e perícia, e Nós o estamos expandindo.” (Alcorão 51:47)

Na época da revelação do Alcorão a palavra “espaço” não era conhecida e as pessoas usavam a palavra “firmamento” para se referir ao que ficava acima da terra.  No versículo acima, a palavra “firmamento” se refere ao espaço e ao universo conhecido.  O versículo destaca que o espaço e, consequentemente, o universo estava expandindo, assim como afirma a Lei de Hubble.

O Alcorão mencionar esse fato séculos antes da invenção do primeiro telescópio, em uma época em que havia conhecimento primitivo em ciência, é considerado notável.  Ainda mais considerando que, como muitas pessoas de sua época, o Profeta Muhammad era iletrado e simplesmente não podia estar cientes de tais fatos.  Teria ele recebido uma revelação verdadeiramente divina do Criador e Originador do universo?

A Teoria do Bing Bang

Logo após Hubble publicar sua teoria, ele prosseguiu e descobriu que não apenas as galáxias estavam se distanciando da terra, mas também estavam se distanciando umas das outras.  Isso significava que o universo estava expandindo em todas as direções, da mesma forma que um balão expande quando cheio com ar.  As novas descobertas de Hubble estabeleceram as fundações para a teoria do Bing Bang.

A teoria do Bing Bang afirma que há aproximadamente 12-15 bilhões de anos o universo passou a existir a partir de um único ponto denso e extremamente quente e que algo provocou a explosão desse ponto que levou ao começo do universo.  O universo, desde então, vem se expandindo a partir desse único ponto.

Mais tarde, em 1965, os radioastrônomos Arno Penzias e Robert Wilson fizeram uma descoberta que recebeu o Prêmio Noble e confirmou a teoria do Bing Bang.  Antes de sua descoberta, a teoria sugeria que se o único ponto a partir do qual o universo passou a existir fosse extremamente quente, então os vestígios desse calor deveria ser encontrado.  Esse vestígio de calor foi exatamente o que Penzias e Wilson encontraram.  Em 1965 Penzias e Wilson descobriram uma radiação cósmica de fundo em microondas de 2,725 graus Kelvin, que se propaga pelo universo.  Dessa forma, ficou entendido que a radiação encontrada era um vestígio dos estágios iniciais do Bing Bang.  Na atualidade a teoria do Bing Bang é aceita pela vasta maioria dos cientistas e astrônomos.

Um mapa de microondas dos vestígios do Big Bang que deu origem ao universo. (Cortesia: NASA)

É mencionado no Alcorão:

“Ele (Deus) é o Originador dos céus e da terra!”  (Alcorão 6:101)

“Não é Aquele que criou os céus e a terra, capaz de criar seus iguais?  Sim, e Ele é o Criador. Sua ordem, quando quer algo, é tão-somente: “Seja”!”, e é.” (Alcorão 36:81-82)

Os versículos acima provam que o universo teve um começo, que Deus estava por trás de sua criação e que tudo que Deus precisa fazer para criar é dizer “Seja”.  Pode ser essa uma explicação para o que provocou a explosão que causou o começo do universo?

O Alcorão também menciona:

“Não vêem, acaso, os incrédulos, que os céus e a terra eram uma só massa, que desagregamos, e que criamos todos os seres vivos da água?  Não crêem ainda?” (Alcorão 21:30)

Os estudiosos muçulmanos que explicaram os versículos citados mencionam que os céus e a terra eram um e então Deus fez com que se separassem e formassem sete céus e a Terra.  Porém, devido a limitações da ciência e tecnologia na época da revelação do Alcorão (e pelos séculos que se seguiram), nenhum estudioso foi capaz de fornecer muitos detalhes sobre como exatamente os céus e a terra foram criados.  O que os estudiosos podiam explicar era o significado preciso de cada palavra em árabe no versículo, assim como o significado geral do versículo.

No versículo anterior, são usadas as palavras árabes ratq e fataq.  A palavra ratq pode ser traduzida como “entidade”, “fixada, costurada”, “unida” ou “fechada”.  O significado de todas essas traduções se referem a algo que está misturado e que tem uma existência separada e distinta.  O verbo fataq é traduzido como “Nós descosturamos”, “Nós os fendemos”, “Nós separamos” ou “Nós os abrimos”.  Esses significados implicam que algo passou a existir através de uma ação de separação.  A germinação de uma semente do solo é um bom exemplo de uma ilustração semelhante do significado do verbo fataq.

Com a introdução da teoria do Bing Bang logo ficou claro para os estudiosos muçulmanos que os detalhes mencionados em relação à teoria são idênticos à descrição da criação do universo no versículo 30 do capítulo 21 do Alcorão.  A teoria, que afirma que toda a matéria no universo passou a existir a partir de um ponto denso e extremamente quente que explodiu e provocou o início do universo, está em conformidade com o que é mencionado no versículo que o céu e a Terra (portanto, o universo) estiveram unidos e então foram separados.  Mais uma vez, a única explicação possível é que o Profeta Muhammad verdadeiramente recebeu revelação divina de Deus, o Criador e Originador do universo.



Footnotes:

[1] The First Three Minutes, a Modern View of the Origin of the Universe (Os Primeiros Três Minutos, uma Visão Moderna da Origem do Universo, em tradução livre), Weinberg.

[2] Quando a luz que um objeto emite é deslocada na direção da extremidade vermelha do espectro. (http://bjp.org.cn/apod/glossary.htm)