عربي - Deutsch - Française - Português - Español - - Italiano - русский

Chat ao vivo

Chat ao vivo

Se quer colocar qualquer pergunta acerca do Islam!

Como se verter ao islamismo?

Como se verter ao islamismo?

Nos estamos do seu lado em qualquer tempo, Coloque a sua questao e nos as respondemos gracas a Allah

A relação entre fé interior e boas obras no Islã. Parte 3: A falsa noção de que se “merece” o paraíso meramente através da crença interior e boas obras.

Graça de Deus

Algumas pessoas podem pensar que o Islã ensina que o Paraíso pode ser merecido através dos atos.  Isso não é verdade; a crença islâmica é que nem fé e nem obras nos fazem entrar no Paraíso.  Ao contrário, somente a Graça de Deus e Sua Misericórdia nos permitem entrar no Paraíso.  Acreditar em outra coisa é questionar o poder e soberania absoluta de Deus.  Deus é O Perdoador e reivindicar que o homem para conceder a si mesmo o perdão é remover os nomes e atributos de Deus. Seria exaltar a criação (ou seja, a si mesmo) à condição do Criador, tornando a si mesmo um parceiro na glória e poder de Deus. Esse é o pecado hediondo de shirk, associar parceiros na adoração a Deus.

Uma casa nessa vida terrena custa um determinado preço; quanto melhor e maior, maior é o preço.  Uma mansão custa mais que uma casa de tamanho normal e um palácio custa mais que uma mansão.  Pode-se apenas imaginar quanto custa um palácio no Paraíso!  Se as ações fossem nossa moeda, então a verdade é que nenhum de nós poderia economizar boas obras o suficiente para ser capaz de pagar por um metro quadrado de propriedade no paraíso.  Uma das razões por que nós seres humanos nunca podemos poupar boas obras suficientes é que já estamos muito endividados.  Nenhuma quantidade de boas obras pode devolver a Deus Todo-Poderoso tudo que Ele nos deu, como nossa visão, audição e equivalentes.  Consequentemente, a conclusão é que nenhum ser humano pode merecer o paraíso com base em seus próprios méritos ou atos.

Ninguém conseguirá salvação eterna devido ao seu próprio nível de fé ou obras, mas somente através da Graça de Deus.  O Profeta Muhammad, que Deus eleve seu nome, disse:

“... Fiquem cientes que nenhum de vocês pode alcançar a salvação em função de seus próprios atos.”

As pessoas lhe perguntaram: “Ó mensageiro de Deus, nem mesmo você?”

O profeta respondeu: “Nem mesmo eu, a menos que Deus me envolva com Sua Misericórdia e Graça.”

É sabido que o mais virtuoso da humanidade era o Profeta Muhammad e ainda assim vemos que mesmo ele só poderia entrar no paraíso devido à Graça de Deus.  Isso se torna ainda mais claro em outro dito profético (hadith), no qual nos é relatado sobre o homem que fez boas ações sua vida inteira e então acha que entrará no paraíso com base nisso, sem a Graça de Deus.  Essa pessoa – que é arrogante o bastante para pensar que suas próprias ações o farão merecer o paraíso – será jogada no inferno porque desacreditou na Graça de Deus.

Mas isso não diminui a importância da fé e das obras.  Os muçulmanos acreditam que  Todo-Poderoso concede Sua Graça e Misericórdia aqueles que têm fé e que fazem boas obras.  Deus, Todo-Poderoso, diz:

“E Ele (Deus) atende (às súplicas) dos crentes, que praticam o bem, e os aumenta de Sua graça.” (Alcorão 42:26)

Deus Todo-Poderoso nos diz que Sua Graça, Misericórdia e Amor são para aqueles que “crêem” e “fazem boas obras”:

“Quanto aos crentes que praticarem o bem, o Clemente lhes concederá afeto perene.” (Alcorão 19:96)

Os muçulmanos acreditam que Deus ama os benfeitores e odeia os malvados.  Isso contrasta com o que alguns cristãos dizem, ou seja, que Deus ama a todos, incluindo os maus e os pecadores.  Essa idéia é rejeitada até na Bíblia:

“Deus é juiz justo, um Deus que se ira com os ímpios todos os dias.” (Salmos 7:11)

“Quantas vezes sucede que se apague a lâmpada dos ímpios? que lhes sobrevenha a sua destruição? que Deus na sua ira lhes reparta dores?” (Jó 21:17)

A idéia de que Deus ama todo ser humano pode ser um ideal neo-hippie fofo, mas não faz sentido e não é apoiado pela mensagem de Deus.  Os cristãos também acreditam que Deus criou o inferno e que alguns humanos serão enviados para lá.  Deus amam aqueles a quem Ele Próprio condenou ao inferno?  Se for esse o caso, que tipo de amor é esse?  Se Deus realmente odeia o pecado e não o pecador, então por que o pecador – e não o pecado – é jogado no inferno?

Certamente, Deus não ama os malfeitores.  Que tipo de Deus amaria Adolf Hitler, Stalin, o Faraó e tantos outros opressores?  Não, Deus não ama assassinos, estupradores e criminosos.  Acreditar que Deus amaria os malfeitores é questionar a justiça de Deus.  Ao contrário, dizemos que Deus só ama o bom e odeia os maus.  Ainda assim, o atributo de Deus é que Ele é Misericordiosíssimo e se o mau se voltar para Ele em sincero arrependimento, Deus rapidamente aceitará.

Para concluir o assunto, quem quer que seja amado por Deus entrará no Paraíso e Deus concede Seu Amor e Graça aos benfeitores, aqueles que crêem com sinceridade e fazem obras de virtude.  Deus concede Sua Graça somente aos que se empenham em obtê-la.  Como alguém pode esperar obter a Graça de Deus sem trabalhar com suas próprias mãos para obedecer aos mandamentos de Deus?.

..............................................................................................................................................

Fonte :

http://www.islamreligion.com